sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Eu não pensei que fosse sentir tanta falta docê...





"Gosto de pensar que quem já morreu fica num lugar quentinho, que a gente não vê, cuidando de quem ainda não morreu."
"Eu não pensei que fosse sentir tanta falta docê, não sei quanto tempo ainda fico, mas vou ficando.''


Hoje 25 de fevereiro, completam-se 15 anos sem meu eterno e glorioso amor: Caio Fernando Loureiro de Abreu, foi um maravilhoso jornalista, dramaturgo e escritor brasileiro. Com suas belíssimas palavras ele encanta milhares corações e almas, com estilo romântico e pessoal extremamente apurado ele falava de sexo, dos medos, da morte e, principalmente, de angustiosa solidão. Caio é um ser brilhante, que nos acalma e nos faz compreender de certa forma a verdadeira lógica do sentimento ''não adianta uma hora alguém vai sofrer''. Estranho como pode uma alma mesmo tão longe nos compreender tanto e cuidar de quem ainda não morreu.

Eternamente CFA, 'TODA A MINHA SAUDADE E O MEU AMOR DE SEMPRE.

2 comentários:

  1. Nossa, quanto sentimento!

    http://escrevoparaviver.blogspot.com

    ResponderExcluir
  2. Oi!
    Só passando para me desculpar pela escassez de postagens em Agosto no meu blog, o Escrevo para Viver.
    É que a faculdade e o trabalho têm tomado todo o meu tempo e ficou complicado postar.
    Mas agora estou de volta e vou me esforçar para manter atualizado.
    Te convido a dar uma passadinha por lá e ler a primeira postagem deste mês (Na cadeira do juiz): http://escrevoparaviver.blogspot.com/2011/09/na-cadeira-do-juiz.html
    Caso puder, deixe seu comentário ^^
    Abraços virtuais,
    Helena.

    ResponderExcluir